Un espacio para navegar por el universo musical, acercarme a otr@s, y expresar


jueves, 21 de abril de 2011

Mel pra minha dor

Esta entrada va dedicada a esa rara y extraordinaria mujer, nacida tabasqueña, campechana de crianza: Mi Madre. 
La mujer que, desde que estaba en mi cuna, me inyectó en el corazón y en las venas música brasileña, colombiana y cubana; salteada con Tom Jones, Sandro, Liza Minelli y la Sonora Santanera. 
Extraña dosis de nanas...

ELLA me nutrió con los libros, los lienzos, los pinceles, las pinturas, el papel para escribir, las plumas y los lápices. Con platos sorpresa. Con historias de su amor por las películas de rumberas, los bailes y sus viajes a pie acompañando a mi bisabuela.
Me llevó de vacaciones a la isla cada año hasta que cumplí 15. 
Me tomó la lección mientras cosía o bordaba mirando documentales o películas... Jamás telenovelas. 

- Esto parece un funeral, prende el radio- Solía decir al llegar.

Para ELLA, quién me regaló mi radio de transistores con audífono cuando tenía 9 años.
Todo lo demás fué asunto mío.


El nombre surgió solo, cuando escuché el resultado de este playlist, se presentó a sí mismo.
"Mel pra minha dor" (Miel para mi dolor) es una bellísima canción que a mí me sabe a bálsamo para el alma. 

Cuando las cosas no van bien por mi corazón la música brasileña, la samba en particular, me produce efecto de bálsamo. A veces hasta me ayuda a sanar las heridas un poco más rápido. Como muchos remedios, en ocasiones arde un poco al principio, pero luego refresca y respiro de nuevo.
Les invito esta selección y otras dos, a propósito de esto que les cuento.

La segunda selección es una de mis primeras recopilaciones de la música de Brasil, explorando a fondo durante el 2008: Outros Modos Para Sentir.

Mientras escribo y enriquezco esta entrada, pienso: "Es un lujo ser un@ mism@. 
A solas ya es difícil y es tan solo la mitad. 
Serlo frente a otra alma, recibir y ser recibid@... ¡Eso es lujo!... Creo que tod@s lo valemos, falta que lo sepamos.

Les comparto...

MEL PRA MINHA DOR



  De Frente Pro Crime - Daniela Mercury  e João Bosco
 



MARIA BETHANIA, SACERDOTISA DE LA MÚSICA DE BRASIL

Maria Bethânia - Samba da Benção (Ao Vivo)

Composição : Vinicius de Moraes / Baden Powell
É melhor ser alegre que ser triste
Alegria é a melhor coisa que existe
É assim como a luz no coração
Mas pra fazer um samba com beleza
É preciso um bocado de tristeza
É preciso um bocado de tristeza
Senão, não se faz um samba não

Fazer samba não é contar piada
E quem faz samba assim não é de nada
O bom samba é uma forma de oração
Porque o samba é a tristeza que balança
E a tristeza tem sempre uma esperança
A tristeza tem sempre uma esperança
De um dia não ser mais triste não

Ponha um pouco de amor numa cadência
E vai ver que ninguém no mundo vence
A beleza que tem um samba, não
Porque o samba nasceu lá na Bahia
E se hoje ele é branco na poesia
Se hoje ele é branco na poesia
Ele é negro demais no coração




 

Jorge Aragão & Elza Soares (Ao Vivo) - Malandro

Va mi apreciación. 
Jorge... ¡Maestro compositor y alma dulce! Elza Soares... ¡Mujer valiente,VOZ ENORME, Scat de lujo a ritmo de samba! 
Hasta donde me da el entendimiento del planeta Brasileiro, "Malandro" se utiliza para denominar a cualquier alma callejera y/o potencialmente peligrosa (vago, delincuente, etc.)  Lo mismo puede ser desde Don gato y su pandilla, que un dealer, o de plano policía o político corrupto,  y/o participante en carteles. En su origen era don gato y la pandilla que solo aspiraban a sobrevivir sin medir las consecuencias, ni mirar los resultados.

Ejemplo simple. La roomate tiene un gatito nuevo llamado Gil, en homenaje al maestro Gilberto Gil. Yo le digo Malandro. Su máximo crimen ha sido masticar el cable de mi laptop ¡Casi lo mato cuando lo pesqué! 
El Gil-Malandro roba comida, porque es de origen callejero y supone que NUNCA habrá más croquetas. Imaginámos, esperámos, que un día él comprenda que ya no hace falta robar, porque ahorita mismo y por lo regular, hay varios kilos de croquetas de diversos sabores para toda la banda gatera que habita esta casa. Suele ocurrir que donde yo (eu) vivo los gatos comen primero.  
Lo que ya le quedó claro es que esta canción es suya. Viene en chin... cuando la escucha.

La hermosa y profunda composición de Jorge va más lejos. Les dejo la letra, reflexión de fondo en lo social, en lo humano... y seguro otras lecturas que yo no alcanzo a leer. Quizá algunos de ustedes si.

Composição : Jorge Aragão/Jotabê

Malandro!
Eu ando querendo
Falar com você
Você tá sabendo
Que o Zeca morreu
Por causa de brigas
Que teve com a lei...

Malandro!
Eu sei que você
Nem se liga pro fato
De ser capoeira
Moleque mulato
Perdido no mundo
Morrendo de amor...

Malandro!
Sou eu que te falo
Em nome daquela
Que na passarela
É porta estandarte
E lá na favela
Tem nome de flôr...

Malandro!
Só peço favor
De que tenhas cuidado
As coisas não andam
Tão bem pro teu lado
Assim você mata
A Rosinha de dor...

Lá Laiá, Laiá Laiá, Laiá Laiá Laiá!
Laiá, Laiá, Laiá, Laiá Laiá!
Laiá, Laiá, Laiá Laiá Laiá!
Laiá Laiá Laiá, Laiá Laiá!...
Malandro!


 

 Alcione e Roberto Ribeiro - Mel pra minha dor (ao vivo)

Composição : Nelson Rufino / Avelino Borges

REFRÃO (2x):
Quando percebi que o seu amor
Poderia ser mel pra minha dor
Esqueci de quem só me fez chorar
Reabri meu coração pra de novo amar

E secaram por fim: Lágrimas
Esqueci o final: Trágico
Me salvei já não sou: Náufrago
Se meu barco não foi: Rígido
Foi assim, tipo assim: Mágico
Que senti tudo em mim: Nítido
E lá dentro do meu: Âmago
Liberdade era a nova tônica

Refrão (2x)
E voltaram os meus: Sonhos
Em meus olhos enfim: Brilho
Meu viver já não mais: Prantos
Coração refugou: Lindo
Novo amor enxotou: Prantos
Meu querer, sem temer: Vivo
Alegria se fez: Canto
E a tristeza de vez: Lindo

Refrão (2x)
Repete a 1ª
Refrão (2x)





Alcione e Maria Bethânia em Roda Ciranda
El audio deja para desear, pero ELLAS... ¡Qué valga!



 Wanda Sa e Roberto Menescal - O barquinho - Você
O barquinho... Uno de los poemas más bellos que he escuchado, leído, sentido... ahora, antes y después. 
O barquinho va:
Composição : Roberto menescal/Ronaldo Boscoli
Dia de luz, festa de sol
E o barquinho a deslizar
No macio azul do mar
Tudo é verão, o amor se faz
Num barquinho pelo mar
Desliza sem parar...
Sem intenção, nossa canção
Vai saindo desse mar e o sol
Beija o barco e luz
Dias tão azuis
Volta do mar, desmaia o sol
E o barquinho a deslizar
E a vontade é de cantar
Céu tão azul, ilhas do sul
O barquinho é o coração
Deslizando na canção
Tudo isso é paz, tudo isso traz
Uma calma de verão
E então
O barquinho vai, a tardinha cai
O barquinho vai, a tardinha cai



Mestre Gilberto Gil e Marjorie Estiano - Chiclete com banana
 ¡La neta¡ Gilberto Gil
Eu só ponho o be-bop no meu samba
Quando o Tio Sam pegar no tamborim
Quando ele pegar no pandeiro e no zabumba
entender que o samba não é rumba
Aí eu vou misturar Miami com Copacabana
Chiclete eu misturo com banana
E o meu samba vai ficar asssim
bop-ti-bop-ti-bop bop-ti-bop-ti-bop
bop-ti-bop-ti-bop
Quero ver a grande confusão
Tirurururiu bop-ti-bop-ti-bop
Tirurururiu bop-ti-bop-ti-bop
Tirurururiu bop-ti-bop-ti-bop
É o samba rock, meu irmão
É, mas em compensação
Eu quero ver o boogie-woogie de pandeiro e violão
Quero ver o Tio Sam de frigideira
Numa batucada brasileira
Quero ver o Tio Sam de frigideira
Numa batucada brasileira
Tirurururiu bop-ti-bop-ti-bop
Tirurururiu bop-ti-bop-ti-bop
Tirurururiu bop-ti-bop-ti-bop
Quero ver a grande confusão
Tirurururiu bop-be-bop-be-bop
Tirurururiu bop-be-bop-be-bop
Tirurururiu bop-be-bop-be-bop
Espia o samba rock, meu irmão




Alcione e Ed Mota - Mesa de Bar
 Vida
Alcione
Mesa de bar
É lugar para tudo que é papo da vida rolar
Do futebol, até a danada da tal da inflação
É coração, fantasia e realidade
É um ideal paraíso adonde nós fica a vontade
Mesa de bar
É cerveja suada matando a pau o calor
Vamos cantar aquela cantiga que fala da luta e do amor
Mas antes brindar em homenagem
Aqueles que já não vem mais
Saúde pra gente, moçada, que a gente merece demais
Em torno de um copo a gente inventa um mundo melhor
A dona birita levanta a moral de quem está na pior
A água da mágoa se enxuga no pano daquela toalha
Pra acabar com a tristeza
Esse remédio não falha
Na mesa de um bar todo mundo é sempre o maior
Todo mundo derrama as tintas da sua alegria
Copos batendo na festa da rapazeada
Se bem que a gente não esquece que a barriga anda meio vazia
É que mesa de bar é onde se toma um porre de liberdade
Companheiros em pleno exercício de democracia
Mesa de bar é onde se toma um porre de liberdade
E companheiros em pleno exercício de democracia

 

 
OUTROS MODOS PARA SENTIR

Gal Costa - Garota De Ipanema...  
Cómo para qué voy a decir algo de Gal... es como decir del viento, el amor, la lluvia o la vida... lo que diga es... nada.
Composição : Antônio Carlos Jobim / Viní­cius de Moraes
Olha que coisa mais linda
Mais cheia de graça
É ela menina
Que vem e que passa
Seu doce balanço, a caminho do mar

Moça do corpo dourado
Do sol de Ipanema
O seu balançado é mais que um poema
É a coisa mais linda que eu já vi passar

Ah, porque estou tão sozinho
Ah, porque tudo é tão triste
Ah, a beleza que existe
A beleza que não é só minha
Que também passa sozinha
Ah, se ela soubesse
Que quando ela passa
O mundo inteirinho se enche de graça
E fica mais lindo
Por causa do amor [Bis]


Danadinho, Danado - Simone e Martinho Da Vila


Ana Carolina - Vestido Estampado
Composição : Ana Carolina
Acabou, agora ta tudo acabado
Seu vestido estampado, dei a quem pudesse servir
Agora que eu não posso mais caber em ti
Não quero ti ver, dizem que você não quer mais me olhar
Como velhos desconhecidos se você não me escuta
Eu não vou te chamar
O amor que eu dei não foi o mesmo que eu vi acabar
O amor só mudou de cor, agora já ta desbotado
Corra lá vem à tristeza atirando pra todos os lados
Pegue o vestido estampado, guarde pro carnaval
Guarde que eu nunca te quis mal
Até o feriado quarta feira de cinzas e ta tudo acabado
(Repete) agora ta tudo acabado............


¡Ahhhh! ese chelo y esa voz de Yo-Yo Ma e Rosa pasos - Chega De Saudade
Composición: Tom Jobim, Vinícius de Moraes
Vai minha tristeza
E diz a ela que sem ela não pode ser
Diz-lhe numa prece
Que ela regresse
Porque eu não posso mais sofrer
Chega de saudade
A realidade é que sem ela
Não há paz não há beleza
É só tristeza e a melancolia
Que não sai de mim
Não sai de mim
Não sai

Mas, se ela voltar
Se ela voltar que coisa linda!
Que coisa louca!
Pois há menos peixinhos a nadar no mar
Do que os beijinhos
Que eu darei na sua boca
Dentro dos meus braços, os abraços
Hão de ser milhões de abraços
Apertado assim, colado assim, calado assim,
Abraços e beijinhos e carinhos sem ter fim
Que é pra acabar com esse negócio
De você viver sem mim
Não quero mais esse negócio
De você longe de mim
Vamos deixar esse negócio
De você viver sem mim

"Triste al saber que nadie puede vivir de ilusión..." Elis Regina - Triste
Y Bueno ¿Hace falta presentar a ELIS REGINA?


Jorge Aragão e Filhos de Gandhi - Eu e Você Sempre




Si te gustó esta entrada,
seguro disfrutas de estas otras
¡prueba!:
¡Bebel Gilberto te pone a gozar!... Gilberto Gil te pone a cantar


Un comentario te toma menos de cinco minutos, 
¡sé gentil! comenta por favor.
¡Buena Vida!


2 comentarios:

  1. MARAVILLOSOS MOMENTOS DE MUSICA

    ResponderEliminar
  2. Me alegra que te guste, gracias por comentar.

    ResponderEliminar

¡Gracias por tus comentarios! Son valiosos para mi.